terça-feira, 26 de março de 2013

Suportes da Escrita

O SURGIMENTO DA ESCRITA


     A escrita  é o resultado do ato de escrever.
     Muito antes de surgir um sistema educacional organizado como conhecemos hoje, a escrita por si só, como um registro de sinais, codificações isoladas e que por uma associação passa a ter algum significado existe a cerca de três mil anos antes de Cristo no final do período Neolítico; esta característica de escrita marca o que chamamos pré-histórico, pois foi com o advento da linguagem escrita que inicia o fim desse período “pré” para o inicio da história propriamente dita.
     Foi no final deste período neolítico que os Sumérios (povo que vivia na Mesopotâmia, e que já possuía alguma evolução para fazer contagem numérica) criaram um artifício organizado em sílabas para significar o que era falado por eles, e posteriormente este recurso serviu de estimulo para um outro povo criar o alfabeto. A forma de escrita mais antiga registrada ocorreu no oriente médio e é chamada “escrita cuneiforme”.
     O aprimoramento da comunicação possibilitou que tarefas difíceis tornassem menos árduas por meio de pesquisas e invenções, e a troca de experiências e informações compartilhadas trouxeram a existência de artifícios que proporcionaram ao homem economizar energia, conservar alimentos e melhorar sua acomodação.
      De posse dessa conquista foi possível exercer a abstração, linguagem, e comunicação para funções de lazer, auto-conhecimento, reflexão e crenças. Mais do que isso, por meio da escrita a humanidade transpõe as barreiras do tempo e do espaço deixando informações e toda sorte de registros para posteridade.
    Antes do surgimento da escrita, os gregos antigos encarregavam um mensageiro, que ia, de navio ou a cavalo, levar a notícia desejada. A comunicação só acontecia cara a cara.





OS SUPORTES DA ESCRITA

      De forma resumida os suportes da escrita são as superfícies, geralmente planas utilizadas para escrita.      Já os instrumentos das escritas são os objetos utilizados para escrever.      Por exemplo, quando os alunos escrevem no caderno, estão utilizando caderno como suporte da escrita e caneta e lápis como instrumentos da escrita.

Lousa e giz são exemplos de suportes
 e instrumentos da escrita.

Caderno e lápis são exemplos de 
suporte e instrumentos da escrita.


      Qualquer superfície pode ser utilizada como suporte para a escrita. Mas existem aqueles que foram usados de forma sistemática ao longo das civilizações e fazem parte da história da escrita.
     Inicialmente os suportes mais duros eram utilizados: pedra, madeira, casca de árvore, casco de animais e ossos registraram o alvorecer da linguagem escrita. Desses, o mais marcante até hoje são as placas de argila utilizadas na Suméria (antiga civilização localizada onde atualmente temos o Iraque) cerca de 3500 a.C. para a escrita cuneiforme – considerada pelos historiadores a primeira. Para marcar a argila era utilizada uma cunha.




     Depois vieram os suportes de origem vegetal, como as folhas de palmeira na Índia e o bambu na China.




      papiro espalha-se do Egito por toda Europa e Oriente Médio depois de 2500 a.C. Fabricado a partir de tiras entrelaçadas do caule da planta de mesmo nome.     Abaixo, reprodução de um texto de medicina egípcio escrito em papiro e datado por volta de 1600 a.C.



     Na América, os Maias utilizavam uma espécie de papel, chamado de Kopó, fabricado a partir da casca de figueira e mais propício à escrita que o famoso papiro. Um dos poucos códices maias que sobreviveram à invasão espanhola, encontra-se atualmente na cidade de Dresden, na Alemanha e foi escrito nesse tipo de papel.



     Voltando à Europa e aos suportes mais rígidos, tábuas de madeira revestidas de cera eram utilizadas na Roma Antiga para anotações cotidianas, com a vantagem de poder ser apagada, simplesmente raspando a camada de cera escrita e substituindo por uma nova camada lisa. Nas chamadas tábulas se escreviam com uma espécie de estilete ou marcador de ponta fina.




     De origem animal, o pergaminho conquista o Ocidente e Oriente Médio na Antiguidade por sua durabilidade. Este material foi usado amplamente nos mosteiros da Idade Média para preservar diversos textos. Feito a partir de pele animal, até hoje é utilizado para documentos importantes, pois além de durável, dificulta a falsificação. No Brasil ainda há fabricação artesanal de pergaminho.






     Mas é o papel chinês que conquista o mundo e torna-se o suporte mais importante de nosso tempo. Dele não é preciso falar muito...      Agora caminhamos para as tablets digitais, que lembram as antigas tábulas de madeira.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário